Orkut Glogin. Tecnologia do Blogger.

Social Bookmark

24 de fev de 2011

Rival da ex-prostituta Raquel Pacheco conta a versão da mulher traída

Antes mesmo de chegar aos cinemas (a estreia é na sexta-feira), o filme "Bruna Surfistinha" já provocou uma espécie de resposta. A comissária de bordo Samantha Moraes, de 36 anos, que perdeu o marido para Raquel Pacheco, a ex-garota de programa, de 25, que dá nome à cinebiografia, promete lançar até o fim do ano um longa-metragem com sua versão da história. Baseado no livro "Depois do escorpião", de 2006, o filme de Bruno Azevedo pode ser estrelado por Ana Paula Arósio, Fernanda Vasconcellos ou Alinne Moraes.

— Estamos finalizando o roteiro, pensando nas atrizes. Ana Paula vive um momento só dela, mas é ótima atriz, assim como Fernanda e Alinne — enumera Samantha, que diz não fazer questão de beleza, mas, sim, de talento.

Para concretizar o projeto, ela diz ter duas distribuidoras interessadas e a garantia de pelo menos 250 cópias nos cinemas.

— Não batalhei para que o livro virasse filme, recebi um convite há quatro anos e só agora tivemos segurança para terminar o roteiro. Não quero rivalizar com a Raquel. A minha história é de superação, uma comédia romântica.

Audiência para o ‘SuperPop’

As duas, que travaram um embate nas prateleiras das livrarias, foram responsáveis por um dos maiores picos de audiência da história do "SuperPop", apresentado por Luciana Gimenez na Rede TV!. Depois de contar no programa como foi trocada por Bruna Surfistinha, Samantha saiu de lá com um novo marido: o diretor da atração, Marcelo Nascimento.

— Em 2004, pus a Surfistinha na mídia. Eu a levei ao "SuperPop" para falar do blog em que narrava suas aventuras sexuais. Depois que soube da traição, convenci Samantha a contar sua história ao público. Eu a conheci deprimida, com 20kg a menos. Nos apaixonamos, ela deu a volta por cima — conta Marcelo.
Samantha é quem cria as duas filhas, de 7 e 11 anos, que ficaram para trás com o fim do casamento.

— Elas não sabem o que aconteceu. Sabem que o nome da madrasta é Raquel Pacheco. Quando ouvimos em casa a chamada na TV da entrevista dela na Marília Gabriela (no último domingo no GNT), gelei. Um silêncio se fez e não sei o que falo a elas — diz Samanta, que jura não vestir a capa de moralista: — Quando li "Cristiane F. drogada e prostituída", eu me choquei porque era um exemplo do que não devia ser seguido. Ela é a Cristiane F. dos anos 2000. Mas os valores se inverteram.


Questionada sobre o filme de Samantha, Raquel Pacheco, a Surfistinha, não se abala:

— Não busquei saber o objetivo disso, mas será bom para a Bruna Surfistinha. Não vai cair no esquecimento tão cedo. Não quero que as pessoas se esqueçam de mim.



Famosas - 23/02/2011